Vida: play ou replay? | Eu & Nós

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

2 Comentários

  • 25/7/2011 - 01:04 charlesnetto

    Lendo seu post esta Reflexão o se ter um amor para ser lembrado, penso ser muito importante e apreciei sua conclusão tão bem definida assim: “Então, da próxima vez que estiver com seu amor, resista, desacostume-se, reinvente o olhar, recrie os jeitos, fabrique uma nova primeira vez, desafie-se como se isso fosse importante.
    Ou não é?” Pois sempre é bom reformular conceitos quando nessa busca já se encontrou o Amor, não e´mesmo????????

  • 26/10/2011 - 23:57 Marco Antonio Beck

    Com certeza, Charles. Se tudo isso vale pras relações em geral, vale mais ainda quando encontramos alguém especial.

    Um grande abraço e que bom que você curtiu.

Deixe seu comentário