Um tesão de 225 quilômetros | Eu & Nós

Um tesão de 225 quilômetros

Psiu, você aí que perdeu o tesão ou não sabe como chegar! Quer uma dica?

Por Marco Antonio Beck

 

homenzinho espiando por uma luneta(resista ao início da dica, que parece meio cartilha de história, e leia até o fim, de preferência ao som de Spanish Caravan, do The Doors)

A primeira civilização conhecida tem uns 5 mil anos – foram os sumérios, que viveram na Ásia Menor, onde hoje fica o Iraque. Esse tempo está representado na régua à esquerda pelo risquinho azul, onde 5 mil anos equivalem a 1 centímetro.

Já o primeiro hominídeo (isto é, o primeiro bicho que não era mais bicho porque estava virando gente) tem 3 milhões de anos – foi o Australopithecus aferensis, que viveu no sul da África. Mantendo a proporção de 1 centímetro para cada 5 mil anos, o risquinho vermelho para representar os 3 milhões de anos do Australopithecus teria 600 centímetros e seria preciso uma régua de 6 metros, que obviamente não cabe na página do site.

Um centímetro de cultura e seis metros de instinto.

Essa é a distância entre a cidade e a floresta a que a Mariana se referiu aqui. E na verdade a distância é maior, porque a cultura moderna em que vivemos emergiu das chaminés da Revolução Industrial, faz 200 anos, enquanto nossos genes carregam um instinto de 4,5 bilhões de anos, quando apareceu a vida na Terra. Aí o risquinho azul representaria 200 anos ao invés de 5 mil e o risquinho vermelho exigiria uma régua de 225 quilômetros. Não dá nem pra imaginar essa proporção… e ela é real.

Mas por que estou dizendo tudo isso?

Pra você não ignorar o tesão quando ele rosnar de dentro da floresta do desejo e chegar com vontade de comer o seu amor como os lobos e as lobas se comem no alvorecer.

Se sua cabeça botar defeito e fizer reparo, achando feio, sussurrando que é pecado ou dizendo que você não leva jeito pra coisa, lembre-se: ela tem 1 centímetro e seu tesão tem 22 milhões e 500 mil centímetros. Confie nele.

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário