Travada na cama | Eu & Nós

Travada na cama

Será que tem como mudar isso?

Por Marco Antonio Beck

mulher nua de costas, sentada numa cama

Maria é travada na cama.

Isso a frustra, a frustração gera raiva e a raiva a acompanha o dia todo, mas de um modo subterrâneo, sem que ela se dê conta. E, sem se dar conta, Maria descarrega a raiva em qualquer um, por qualquer motivo, a qualquer hora. E o que vale pra Maria vale pro João.

Maria tem três opções.

Uma, cuidar de tudo menos disso, deixar como tá pra ver como fica e foda-se a boa foda.

Duas, dar-se conta de que a raiva tem origem na frustração, que tem origem na sua repressão sexual. Reconhecendo o fato de que é travada na cama e que isso a deixa puta da vida, Maria consegue evitar muitas explosões porque sabe a causa delas.

Três, reconhecer o fato de que é travada e querer destravar-se, soltar o bicho, entrar na selva, desconjuntar a cama. Mudar.

Será que tem como mudar isso?

Se você se identifica com a Maria ou o João e sabe como o travamento trava, você vai jurar que não.

Mas tem como mudar, porque essa repressão é um comportamento e todo comportamento é aprendido – e se é aprendido pode ser desaprendido. E pode-se aprender um novo comportamento para colocar no lugar do antigo.

Como se faz isso?

Questionando a crença em coisas que nos limitam há muito tempo, talvez desde a infância, mas que não são nossas – e o primeiro passo é tomar consciência delas, porque a maioria dessas crenças limitantes é invisível, ou seja, inconsciente, ou seja, não nos damos conta de que estão aí e nos fazem tanto mal.

Faz sentido pra você? Mesmo que nunca tenha pensado nisso, bateu aí no fundinho?

imagem: plaits via Compfight cc

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário