O que você diz é igual ao que você faz? | Eu & Nós

O que você diz é igual ao que você faz?

Quando falamos não é o que dizemos, mas como dizemos que faz a diferença.

Por Marco Antonio Beck
boca coberta com um papel com uma frase poética

“Palavras não são más / Palavras não são quentes / Palavras são iguais / Sendo diferentes”

Falar não é só pronunciar palavras.

No livro Silent Messages, Albert Merabian diz que só 7% da comunicação ocorrem através das palavras, 38% vêm do tom de voz e nada menos que 55% da conversa são não-verbais: dependem da postura corporal, dos gestos e do contato visual.

Por isso é importante estar em si ao comunicar – o Luiz Antonio Gasparetto usa a deliciosa expressão tô nimim! Aí as palavras, o tom das palavras e o que é dito sem palavras se encontram alinhados e a comunicação se faz.

Senão o que acontece é uma incongruência, pra não dizer uma autossabotagem.

Se você está, por exemplo, numa entrevista de emprego e suas palavras dizem tenho competência e quero essa vaga! mas o tom delas passa a sensação de que a vaga é muita areia pro meu caminhãozinho e a postura e os gestos são de receio, o que você acha que acontecerá? A vaga vai parar na mão de uma pessoa mais assertiva, embora talvez menos competente que você.

O mesmo vale pra conquistar aquele gata ou gato, pra falar em público, pra fazer uma cesta no basquete ou pra se posicionar num conflito ou debate.

Alinhe suas palavras com sua voz e com seu corpo, seus olhos e seus gestos e veja a diferença!

imagem: FranUlloa

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário