Mentiroso precisa de conserto? | Eu & Nós

Mentiroso precisa de conserto?

Fiz essa matéria pra revista “Ouse” e publico aqui numa versão reduzida. Ela serve de salva-cuca pra muita gente que anda sofrendo (à toa) com mentiras. Faz pensar exatamente como uma sessão de coaching faria – embora no coaching você chegue às suas próprias conclusões e não receba o prato mastigadinho assim, que não tem o mesmo sabor.

Por Mariana Viktor

reflexo de um narigudo no espelho

Ele é daqueles caras que segura a onda, faz você dar risada e se divertir, é responsável, ótimo papo e ainda é bom de cama?

Sim pra tudo?

Sinal de que você é observadora e valoriza as qualidades dele, que são muitas e raras de encontrar numa pessoa só.

– Ah, mas ele mente!

Hummm… Perceba seu próprio comportamento com a mesma imparcialidade. Como se você se visse de fora, sabe? Um filme onde você é a personagem principal. Então, vamos lá. O que aparece na tela deste seu cinema? Você desconfiando da honestidade dele mesmo sem nenhuma evidência? Fazendo marcação cerrada? Insegura porque ele também curte a companhia dos amigos – e lá no fundinho gostaria que ele fosse só seu?

Se respondeu sim a pelo menos uma dessas questões, pense em como tem sido o seu jeito de amar. Lembra uma mordaça, uma gaiola ou uma camisa de força? “Será que você mesma não está transformando seu homem num mentiroso?”, questiona a psicanalista Eliana Caligiuri, da Sociedade Brasileira de Psicanálise.

Todo mundo precisa de espaço para existir.

E isso inclui a liberdade de ter amigos, gostos próprios, vontades diferentes – necessidades individuais que não mudam só porque estamos namorando ou casados com alguém.

Muitas vezes o que está em jogo são questões subjetivas, onde não é claro quem está certo e quem está errado. Ele está errado porque gosta de sair para caminhar sozinho todo domingo à tarde ou você está errada por querer que ele fique em casa com você assistindo a uns filmes?

“São exatamente as questões que dizem respeito à verdade de cada um, a interesses naturalmente diferentes e a formas distintas de ver a vida as que mais geram conflito e necessidade de mentir quando desagradam ao outro”, diz a psicanalista.

P.S.: Se depois dessa breve autoanálise você concluiu que anda pegando meio pesadinho e que o problema pode ser excesso de ciúme, dá uma olhadinha nessas dicas para mulheres ciumentas que a blogueira Isa Paula Oliveira postou. Ela aponta com muita sensibilidade o que passa do ponto.

imagem: Grubby Mits

SOBRE O AUTOR

A Mariana é formada pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC). Especializada em Coaching de Relacionamento e Emotional Freedom Techniques (EFT), é certificada em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard. Jornalista, dedicou-se às áreas de Comportamento, Saúde Holística e Sexualidade, sendo pós-graduanda em Terapia Familiar e coautora do livro Saúde Emocional (Editora Ser+). Colaboradora do blog da Sociedade Brasileira de Coaching, escreveu para as revistas Vida Simples, Galileu, Marie Claire, Bons Fluidos, Educação, Ana Maria, Viver Psicologia e Claudia, entre outras. Foi colunista das revistas Viva Saúde, Corpo a Corpo e Meu Nenê. Assina a coluna Dica da Mari na revista Atrevida.

Comentários do Facebook

2 Comentários

  • 26/7/2011 - 17:42 Isa Oliveira

    Oi Mariana,
    É uma honra ser citada em seu site! Obrigada!
    Quando criei a postagem das mulheres ciumentas, usei como base as histórias de amigas e a minha própria história.
    Onde percebo a diferença de mulheres que fazem de tudo para não perder seus companheiros, e no final acabam perdendo por excesso de ciúme e controle da vida da pessoa. E mulheres que sabem se valorizar, e não perdem a vida, quando perdem um relacionamento.
    Ou seja, mulheres equilibradas, que sabem discernir as perdas dos ganhos, e mulheres frágeis que ainda não conhecem os seus limites, e os limites dos outros.
    Espero poder ajudar muitas mulheres que sofrem com crises de ciúmes, e alertá-las para uma nova vida, sem que isso interfira nas suas decisões, e no seu dia-a-dia. No final, elas serão vitoriosas e muita mais valorizadas.

    Abraços,

    Isa Oliveira

    • 27/7/2011 - 19:57 Mariana Viktor

      Oi Isa! Eu percebi mesmo que cada dica que vc deu ali nasceu de uma observação minuciosa ou da experiência vivida com lucidez e bem assimilada. Por isso achei muito bacana e peguei emprestado rs. Parabéns pela sua sensibilidade e um abração!

Deixe seu comentário