Diga sim, porra! | Eu & Nós

Diga sim, porra!

Queira pra você o melhor e sua alma faz você tirar rapidinho a bunda da cadeira.

Por Marco Antonio Beck

homem gordo andando de bicicleta

“Ah, porque não dá!”

“Ah, porque não consigo!”

“Ah, porque já tentei várias vezes e me fodi!”

Tudo bem que não é fácil: não deu, você não conseguiu, eu tentei e mifu, mas não ser fácil é razão pra conformar-se com o menos? Pra alisar a cabeça do pouco? Pra agradecer por metade?

Teve um tempo em que eu diria que sim. Até descobrir que aceitar o menos equivale a escolher entre 30°C abaixo de zero e o zero absoluto. “Delícia de zero grau, meu! Tô suando!!!”

Isso não é escolha – é uma rendição baseada numa crença desfavorável que mantenho a meu próprio respeito: a de que não mereço mais que zero grau na melhor das hipóteses.

É ou não é ou não é?

Não é, não. Tem outro tipo de escolha, feita pela espécie dos irritantemente otimistas. Eu posso escolher entre o zero absoluto e os 20,5°C perfeitos duma manhã ensolarada de inverno em Canela numa tarde de 1968, quando eu tinha 9 anos e lembro que ri à toa porque tirei os óculos e descobri que míopes enxergam o mundo como Van Gogh o pintava. Pra começar, excluo o abaixo de zero.

“Ah, mas não dá!”

“Ah, mas não consigo!”

“Ah, mas já tentei várias vezes e me fodi!”

Dá sim. Você consegue. Se você tentou várias vezes e não deu certo, tente de outro jeito.

Quando a escolha é entre o zero absoluto e os 20,5°C daquela manhã em Canela, o impossível fica só difícil e o difícil fica fácil, porque a alternativa é congelar. Queira pra você o melhor DE VERDADE e sua alma faz você tirar rapidinho a bunda da cadeira.

Vamovamovamovamo!!!

imagem:  Kyknoord

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário