Da próxima vez que for dar um piti… | Eu & Nós

Da próxima vez que for dar um piti…

Imagine se todo mundo saísse pra rua não fazendo cara de conteúdo e maquiado de civilização, mas como cada um de nós é no lado emocional.

Por Marco Antonio Beck

mulher cuspindo fogoVocê é daqueles que tenta consertar a luminária e se não dá certo esmurra a mesa e joga a luminária na parede? Ou que bate o telefone na cara da amiga porque se irritou com algo que ela disse? Ou que perde a linha até porque ehrrou escrevendo no Word?

Quer um comprimidinho pra se curar disso na hora?

Então solicito três minutos e vinte e sete segundos da vossa atenta atenção. Se você dispõe dessa enormidade de tempo, veja este vídeo.

Agora diz: se não for encenação, é patético, né?

Faz a gente ficar sem jeito e pensar…

E eu tava pensando no porquê do constrangimento: será que me constranjo porque ajo exatamente como esse cara em vários aspectos da minha vida? Mesmo equilibrado e seguro, por exemplo, na área profissional, será que não tenho faniquitos emo e não sou intratável que nem The Treeman na minha relação com os outros? Ou na minha relação comigo, quando me cobro perfeição e sou intolerante com meus erros?

Imagina se um dia por mês todo mundo saísse pra rua não fazendo cara de conteúdo e maquiado de civilização, mas como cada um de nós é no lado emocional… Duvido achar alguém com mais de 12 anos.

Se dar conta é o primeiro passo pra crescer. O segundo é descobrir como manter o controle emocional.

imagem: amanky via Compfight cc

SOBRE O AUTOR

Formado pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC) e pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), o Marco é practitioner em Programação Neurolinguística (PNL) e Emotional Freedom Techniques (EFT). Certificado em Psicologia Positiva pela metodologia do professor Tal Ben-Shahar, de Harvard, é coautor do livro Saúde Emocional (Editora Ser+), colaborador do blog da Sociedade Brasileira de Coaching e colunista convidado do Obvious, o maior site colaborativo de cultura em língua portuguesa. Estudou psicologia junguiana, noética e pensamento sistêmico, além de trabalhar como ghost-writer – que é quem coloca em palavras as ideias de muitos autores que você lê. Criou junto com a Mariana o Eu & Nós, primeiro site brasileiro sobre Coaching de Relacionamento.

Comentários do Facebook

Deixe seu comentário